Quero o divórcio, quais meus direitos?

Após o casamento nem tudo são flores, a convivência diária acaba por desgastar a relação conjugal levando ao inevitável DIVÓRCIO.

Se esse é o seu caso, confira algumas dicas para facilitar e tornar esse momento menos doloroso.

1º Já que você tem certeza que o melhor caminho é o divórcio, convém consultar um Advogado de Família com experiência em divórcio.

2º Muitas pessoas ficam em dúvida sobre sair ou não da residência comum, pois acreditam que perderam seus direitos, porém isso não é verdade e o melhor mesmo é uma das partes deixar a residência, assim, pondo fim aos conflitos diários.

3º No caso de filhos comuns, aconselha-se tentar definir em conjunto como se dará a criação, guarda e visitas, além dos alimentos, pois, mesmo com o divórcio o dever com os filhos persistem até que estes atinjam a maioridade.

4º Em relação ao patrimônio, deve-se verificar qual foi o regime de bens adotados na ocasião do casamento, em regra o regime é o Parcial, neste regime, todos os bens adquiridos na constância do casamento deverá ser partilhado igualmente, mesmo que uma das partes não exercia trabalhos fora da residência, acabou por cuidar da casa e dos filhos, dando apoio moral a outra parte.

5º Em não sendo possível uma composição amigável, aconselha-se que cada uma das partes a ter o seu Advogado de família, assim, poderá ser resolvido de forma técnica, evitando-se desgaste.

Comentários

Fale Pelo WhatsApp

Postagens mais visitadas deste blog

Do Arrolamento sumário de acordo com o Novo Código de processo Civil

A beneficiária do consorciado falecido tem direito à liberação imediata da carta de crédito.

Direito de alimentos - Comentários ao Art. 1.694 do Código Civil